R. Pedroso Alvarenga, 1208, cj. 102 - Itaim Bibi - São Paulo
11 3031-2869 / 99109-6767

Exames

Perda Auditiva em Bêbes/Crianças - A Importância do Diagnóstico Precoce

De acordo com American Speech-Language-Hearing Association (ASHA) o diagnóstico da perda auditiva, bem como seu tratamento, devem ser realizados até os primeiros 6 meses de vida, para que a criança possa ter um desenvolvimento normal de fala e linguagem, similar as crianças com audição normal.

O período crítico para o desenvolviento normal de fala/linguagem é desde o nascimento até os 3 anos de vida. A perda auditiva, em muitos casos, não é detectada até que a criança complete 2, 3 ou 4 anos de vida, quando prejuízos irreversíveis ao desenvolvimento normal da criança já ocorreram. Uma criança com perda auditiva tem dificuldades para ouvir normalmente os sons de fala. A perda auditiva pode estar presente desde o nascimento ou, em alguns casos, pode surgir posteriormente. É importante ressaltar que a maioria dos bebês com perda auditiva tem pais com audição normal.

Os programas de Triagem Auditiva Neonatal foram desenvolvidos com a finalidade de prevenir os efeitos negativos da perda auditiva no desenvolvimento cognitivo, línguistico, auditivo, sócio-emocional e acadêmico de bebês e crianças. A perda auditiva, portanto, deve ser identificada o mais rápido possível, logo após o nascimento, bem como a intervenção deve ser imediata.

Para confirmar a perda auditiva de recém-nascidos e crianças pequenas que falharam na triagem auditiva na maternidade, deve-se utilizar  testes/exames específicos para avaliar a integridade do sistema auditivo, em ambas as orelhas, estimar a sensibilidade auditiva por frequências, determinar o tipo de perda auditiva, monitorar e fornecer informações necessárias para iniciar os ajustes dos dispositivos de amplificação (próteses auditivas).

Nossos equipamentos de última geração permitem a execução de diagnósticos da audição de maneira efetiva. É possível qualificar o déficit da audição desde o recém nascido até o paciente idoso, incluindo pacientes não colaborativos. Nossa equipe, composta por fonoaudiólogos especializados, realiza o acompanhamento dos pacientes através de exames de rotina específicos para cada necessidade.

Os Exames/Testes

BERA/PEATE 

Exame do Potencial Evocado Auditivo do Tronco Encefálico é um exame utilizado para avaliar a integridade funcional das vias auditivas nervosas, bem como para estimar o limiar auditivo em bebês, crianças pequenas e pacientes que apresentem limitações para responder à audiometria. Este exame é realizado com a ajuda de uma nova tecnologia que possibilita a avaliação de bebes, crianças pequenas, entre outros, sem a necessidade de sedação.
O exame é realizado por frequências específicas para determinar a configuração da perda auditiva.

 
 

Avaliação do Processamento Auditivo Central

O PAC (Processamento Auditivo Central) é uma série de processos que se sucedem no tempo e que permitem que um indivíduo realize uma análise metacognitiva ("processamento") dos eventos sonoros ("auditivo") e que envolvem, predominantemente as estruturas do sistema nervoso (“central” = vias auditivas e córtex).

 
 

Emissões Otoacústicas

Exame objetivo que avalia a função coclear. É um procedimento objetivo (não depende da resposta do paciente), não invasivo e rápido. Dentre as aplicações clínicas, destaca-se a Triagem Auditiva Neonatal, Avaliação Pediátrica, Triagem Auditiva Escolar, Zumbido e Diagnóstico Diferencial.

Audiometria 

Exame que avalia a capacidade auditiva, sendo imprescindível para o diagnóstico, acompanhamento da evolução e tratamento de doenças da audição. Indicado para quem apresenta diminuição da audição, perda auditiva, zumbido, tontura, sensação de “ouvido tampado”

Imitanciometria/Impedânciometria 

Exame que avalia as condições da orelha média e da tuba auditiva, obtendo informações a respeito da integridade funcional do tímpano e dos ossículos presentes na orelha média.