R. Pedroso Alvarenga, 1208, cj. 102 - Itaim Bibi - São Paulo
11 3031-2869 / 99109-6767

PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL

O que é processamento auditivo central?

Série de processos que se sucedem no tempo e que permitem que um indivíduo realize uma análise metacognitiva ("processamento") dos eventos sonoros ("auditivo") e que envolvem, predominantemente as estruturas do sistema nervoso (“central” = vias auditivas e córtex).

O que é transtorno do processamento auditivo central (TPAC)?

É a alteração em uma ou mais habilidades auditivas. O TPAC pode acontecer isoladamente ou estar associado a outras alterações tais como: dificuldade de aprendizagem, transtornos de fala e/ou linguagem, transtornos de leitura e/ou escrita, déficit de atenção e/ou hiperatividade, dislexia, entre outras.

Como ocorre o TPAC?

O TPAC pode ter origem no desenvolvimento (atraso maturacional, alterações estruturais, disfunções e/ou atipias no sistema nervoso central) ou ser adquirido (alterações neurológicas e/ou neurovegetativas, envelhecimento e perdas auditivas periféricas).

Quais são os sinais e sintomas do TPAC?

• Alterações na comunicação oral (trocar letras para falar, dificuldade para contar histórias ou dar recados, dificuldade em seguir ordens, não entender piadas e palavras de duplo sentido)
• Alterações na comunicação gráfica (troca de letras na escrita, caligrafia ininteligível, dificuldade em compreender o que lê)
• Problemas comportamentais (desorganização, desatenção, agitação ou apatia, ansiedade)
• Baixo desempenho acadêmico e/ou em atividades do trabalho (reuniões, palestras, conferências)
• Dificuldade para aprender uma língua estrangeira
• Dificuldade para manter a atenção aos sons (“só ouve quando quer”), precisa ser chamado várias vezes (“vive no mundo da lua”) e pede para repetir o que foi dito (usa com frequência as expressões “hã”, “o que?”, “não entendi”)

Para que serve a avaliação do PAC e quem pode solicitar o exame?

O objetivo da avaliação do PAC é verificar as habilidades/inabilidades auditivas para propor estratégias de reabilitação e também como diagnóstico para outras alterações as quais os indivíduos apresentam comportamentos similares aos indivíduos com TPAC. A avaliação do PAC pode ser solicitada por diferentes especialidades, sendo as mais comuns: médicos (otorrinolaringologistas, pediatras, psiquiatras, neurologistas entre outras especialidades), fonoaudiólogos, psicólogos, psicopedagogos e musicoterapeutas.

Quem não pode realizar o exame?

A avaliação é realizada em português brasileiro e para realizar a avaliação o indivíduo deve compreender as instruções e ouvir o som que foi apresentado. Sendo assim, não é recomendada para indivíduos que não falem português brasileiro, pessoas com alteração cognitiva severa e/ou perda auditiva de grau severo ou profundo.

Como é realizada a avaliação do processamento auditivo central?

A avaliação pode ser realizada a partir dos 5 anos de idade. Antes da avaliação do PAC, é necessário investigar o funcionamento do sistema auditivo periférico realizando a avaliação audiológica com avaliações comportamentais (audiometria e logoaudiometria) e eletroacústicas (timpanometria, pesquisa dos reflexos acústicos estapedianos e emissões otoacústicas). Após essa avaliação usamos medidas eletrofisiológicas e testes auditivos especiais para investigar o funcionamento do sistema auditivo central e habilidades auditivas. Dentre os testes utilizados, nesse serviço, temos o teste DSI (Dichotic Sentence Identification) em português brasileiro o qual foi elaborado por Andrade, Iório e Gil (2010). O teste de identificação de sentenças (DSI) é utilizado para avaliar a habilidade auditiva de figura fundo para sons verbais, o mecanismo fisiológico de discriminação auditiva de sons verbais em escuta dicótica e o processo gnósico de codificação. A vantagem da utilização desse teste é a padronização dos resultados segundo a idade e escolaridade.


Segue abaixo o link para baixar o teste e tabelas com o resumo dos padrões de normalidade para o teste DSI: